Um comentário ao post ‘Ir a padaria é um ato político’

Ain, acabei de ler esse comentário feito por uma leitora no post ‘Ir a padaria é um ato político’ e estou chorando e queria compartilhar com vocês!

Estourar as bolhas em que vivemos é uma tarefa cotidiana e que busca tornar o mundo um lugar melhor para que todos nós possamos nos tornar aquilo que realmente somos.

 

Olá Erika!

Puxa vida, que texto lindo! E, claro, que triste é viver em um mundo de tantas bolhas… mas devemos seguir a boa luta né. Este seu texto é um tapa na cara positivo, usando-se de uma das comunidades mais marginalizadas, a transgênera — especialmente travestis e transexuais.
Só pra falar rapidinho de mim — uma história que não é incomum, levando-se em conta aspectos gerais –, sou uma garota transgênera (ainda crossdresser) que está aprendendo a encarar a identidade de gênero de frente (mas sou medrosa ainda, rs). E isso só pôde acontecer depois que eu saí do país, pra que houvesse alguma liberdade. Agora, que penso em voltar ao Brasil, estou com bastante medo de como será (re)negociar minha imagem (!) com as gentes — família, parentes, amig@s.
Some-se a isso a marginalização social (com muito desprezo, nojo, desdém embutidos), muito menos oportunidades acesso aos direitos (educação, saúde, etc.), a possibilidade constante de violência — opressões que eu tive o privilégio e a sorte de não ter sentido –, e temos um pouco da realidade das travestis e muit@s outr@s. Essa bolha já foi estourada em mim faz tempo, já.
Pra não me alongar muito, queria agradecer de coração pelo post. Sendo transgênera, meu agradecimento só ganha em emoção, pois ter nosso direito à expressão e identidade de gênero defendido assim, na lata e com tanta propriedade, é um acalanto imenso. Fala-se muito das propensões suicidas mais altas entre transgêner@s; eu, tendo muito a agradecer até o momento, não penso nisso nem um pouco a sério, porém tenho uma compreensão assustadora dos tipos de situação que podem levar uma menina trans, ou um menino trans, a acabarem com a própria vida. De maneira mais ampla, o mesmo para @s LGBTs tod@s.
Ah, adorei esse trecho aqui, ó:
“Direitos humanos são construídos historicamente e reafirmados cotidianamente. Não existiram desde sempre e podem não durar para sempre. O seu direito de ir e vir, pode ser limitado um dia. Como o meu ainda é. Sou lésbica e preciso de uma lei que me permita a manifestação de afeto em público sob pena de multa para quem me impedir. Mas você vive numa bolha e não percebe isso.”
Dá até pra fazer um quadro com essa frase.

Viviane

Blog: http://porcausadamulher.wordpress.com/

Twitter:  http://twitter.com/viviane_cd

Querida Viviane, fiquei muito tocada com seu comentário, estamos juntas nessa luta! Quando estiver no Brasil, se vier a Belo Horizonte será um prazer conhecer você!😉

2 Respostas para “Um comentário ao post ‘Ir a padaria é um ato político’

  1. Achei lindo o comentário dela. Fiquei arrepiada, tanto com o texto dela, quanto com o trecho do teu texto (vou ter que ir ler, agora…, nem sabia que tu tinha blog). =).
    Vou subscrever aqui.
    Beijoca

  2. Pingback: A patologização-psiquiatrização e seus amiguinhos | InQuIeTuDiNe·

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s