Apesar de você, amanhã há de ser outro dia

As relações sexuais e/ou afetivas entre pessoas do mesmo sexo já foram vistas como pecado (sodomia) e como doença (homossexualismo). Hoje recebem o nome de homossexualidade, que é considerada ao lado da heterossexualidade e da bissexualidade um dos estados da sexualidade humana.

A homossexualidade só deixou de ser considerada uma doença quando em 1993 a Organização Mundial de Saúde a retirou do seu rol de doenças mentais. Em 1999 o Conselho Federal de Psicologia editou a resolução CFP 001/99, na qual declarava que a homossexualidade não constituía doença. Além de proibir que psicólogos propusessem a cura para a homossexualidade, a resolução também estabelece normas para a atuação de psicólogos em relação aos homossexuais. No ano de 2003, o presidente do Conselho Federal de Psicologia, Odair Furtado, reiterou as proibições da resolução CFP 001/99 em decorrência do alto número de psicólogos propondo a cura de homossexuais.

Até hoje a homossexualidade é considerada pecado por várias religiões.

E ainda existem psicólogos e psiquiatras que prometem a cura para a homossexualidade.

Historicamente o homossexual é visto como um pecador-criminoso-doente, é rotulado e tratado como um inimigo, como um ser inferior.

Sua inferioridade ecoa na boca de qualquer criancinha, que não perde tempo em xingar o coleguinha de ‘bichinha’, ‘viadinho’, ‘sapatão’ por qualquer motivo. Cruel? Não. Ele viu o pai fazendo, é natural ou brincadeirinha.

Ele viu o pai falando que o Richarlyson é viado! Uma BICHA! Belo exemplo que essa criança tem em casa. Na rua. Na escola. Na TV. Todos gritam ‘bicha’ pro Richarlyson. É um pecador! Dizem o pastor e o padre. É um doente dizem alguns psicólogos e outros leigos, que também acham isso uma pouca vergonha. Ou um pecado.  Pecado e sem vergonhice.

“Vamos São Paulo, vamos São Paulo, vamos São Paulo, vamos passar batom”

“Sampaulinos , o Ricky não é gay, ele faz tipo para agradar vocês”

(Torcedores santistas colocaram na arquibancada do estádio da Vila Belmiro, no dia 01/06/09, duas faixas homofóbicas em referência ao jogador Richarlyson e aos torcedores do São Paulo.)

Ou como a Isabeli Fontana ou a Claudia Leite e o marido dela:

“tenho amigos gays, meu maquiador é gay!! Mas meu filho, meu filho não vai ser gay! Vou dar uma boa educação!”

De acordo com o general Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, o serviço militar é incompatível com esse tipo de indivíduo!

Nas palavras de Tiago Camilo da Stock Car em referência ao personagem gay de Marcelo Antony na novela Passione da Globo:

“Bom, antes que comece, opção sexual é de cada um, não tenho nada contra, só acho fake demais um piloto gay… Pô gente, pelo amor de Deus né ! Entendam as coisas direito…”

Nada a ver um piloto ser gay, ser piloto é coisa de macho! Assim como jogar futebol.

Neste sentido, em relação ao jogador Richarlyson o Juiz de direito Manoel Maximiano Junqueira Filho da 9ª Vara Criminal de São Paulo, reverbera que ‘Futebol é esporte viril, não é coisa para gays.

E a dramaturgia também não é lugar para esse tipo de indivíduo.

“Ator que assumir que é gay é bobo”, diz Silvio de Abreu

Pasmem, a inferioridade da homossexualidade é tamanha que o próprio Estado brasileiro ratifica o entendimento desses experts acima citados!!

De acordo com o ordenamento jurídico brasileiro, homossexuais não podem se casar. Só é permitido o casamento entre homem e mulher. Por que isso é o natural. Natural? É, dizem as religiões judaico-cristãs. O Estado brasileiro não é laico? Você também acredita em Saci?

Ah, mas se você entrar na justiça talvez consiga uma União Estável. Uai, mas porque o Estado consente a União Estável? Tá vendo, é laico! E porque a União Estável? Porque não o casamento? Por que não é normal.

No Brasil, aos homossexuais é negado pelo Estado o exercício pleno de 37direitos. A cada dois dias um homossexual é vitima de homicídio em razão de sua orientação sexual.

Dignidade. Vida digna.

No Brasil, o homossexual é visto como um ser inferior, sua dignidade é achincalhada dia após dia pelo Estado e pela sociedade. Discursos e práticas de ódio estão de tal modo arraigados em nossa cultura que alguns grupos lutam pelo direito de poder continuar descriminando. Evocam o direito democrático de liberdade de expressão, como se a dignidade da pessoa humana fosse um valor inferior. Alto lá!!! Não desvirtuem ou esvaziem de conteúdo o Estado Democrático de Direito. O direito de ser tratado como um igual, de não ser subjugado, o direito a igualdade material esse sim deve prevalecer num Estado Democrático de Direito.

Eu recuso para mim e para todos os LGBTs a pecha de pecador-criminoso-doente ou qualquer conotação de inferioridade que alguns tentam rotular a homossexualidade. Eu defendo um Estado Democrático de Direito que tenha como princípio basilar a dignidade da pessoa humana. E sei que, apesar da opinião de pessoas como as citadas neste texto, um dia não teremos que lutar para sermos reconhecidos enquanto seres humanos, para termos direitos garantidos e protegidos simplesmente por sermos seres humanos. Até lá, meus senhores,

Não vamos enlouquecer, nem nos matar, nem desistir. Pelo contrário: vamos ficar ótimos e incomodar bastante ainda. Caio Fernando Abreu

Como já disse outra vez neste mesmo blog, ao contrário do racismo, a homofobia ainda não constitui crime, no Brasil. Atualmente está em tramitação no congresso um projeto de lei (PLC 122/2006) que pretende criminalizar a homofobia, definindo os crimes resultantes de discriminação e preconceito de gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero.

Para saber mais sobre a história da homossexualiade e da homofobia no brasil. Leia: A história da criminalização da homossexualidade no brasil: da sodomia ao homossexualismo

10 Respostas para “Apesar de você, amanhã há de ser outro dia

  1. A hipocrisia humana é uma comédia: quer dizer que “nao tenho problemas com gays, mas eu nao vou criar um!”
    E eu tinha uma amigona minha que brincava assim: “Ao mesmo tempo, integro todos os subgrupos sociais: sou pobre, bolsista, favelada, preta e lésbica! Será que o Brasil me aceita?”

    O lema é a liberdade, de todas as formas, para amar, meus caros! Se você ama um cachorro, seja feliz! Se você é hétero, seja feliz! Se você ama dinheiro, seja feliz! Mas deixem os outros desfrutarem disso tbm, uai!

  2. tu viu “a single man” do tom ford? numa parte o colin firth, que é professor de inglês, abre a brecha, dentro duma discussão sobre anti-semitismo, para o porquê de a sociedade segregar determinados indivíduos com preconceito e o motivo disso seria MEDO, sabe? você segrega quem é diferente por causa do medo de que esse indivíduo (que tu não conhece) possa vir a te dominar.

    muito boas tuas colocações! sabe que a gente bem que CANSA de ter que saltar da cama de manhã pra dentro da mare contrária todo dia, mas se o objetivo é nos vencer no cansaço…

  3. Eu teria muito o que dizer, mas nesse primeiro momento só consigo falar que seu texto ultrapassou a barreira do BOM. Lugar-comum, ta aí algo que você não é.

  4. Naõ são só 37 direitos violados não, são mais…
    Por exemplo, num caso de violência sexual, quando se trata de molestador do mesmo sexo, não se pode falar em estupro, e sim atentado violento ao pudor. Pq o estupro (cuja pena é maior) só se configura mediante a “conjunção carnal entre homem e mulher”.
    Embora nós tenhamos um Código Civil “mais novo”, ele ficou engavetado por 18 anos antes de ser promulgado. Ou seja, quando entrou em vigo já estava pra lá de desatualizado. Sem falar que, em muitos aspectos, seguiu o anterior, que data do século passado e foi redigido por Clóvis Beviláqua. Segundo os padrões morais da época, só a relação homem/mulher era natural. E assim continuou…
    Quanto a um casal gay ser considerado sócios, iusso é o de menos, pq o casamento é uma sociedade civil. Nomes pouco importam, o que importa é a garantia constitucional de que todos são considerados iguais perante a lei, que todo mundo sabe que não é nada disso, infelizmente…

    Bom, já as declarações ignorantes revelam o quanto de burrice, preconceito, desinformação e falta de respeito humano existe por aí. E, cabe não adimirar, não dar cartaz pra essa gente mediocre. O pior é que muita gente toma como certo que que falam esses deformadores de opinião. Afe!

    Sabe, eu tenho medo de ter um filho ou filha homossexual, apenas por um motivo, pq sei que enquanto a situação for essa, essa pessoa vai sofrer muito, ser discriminada, encontrar mais obstáculos que os outros… E se não for muito forte pra se bancar e se amar como é, dificilmente vai ser feliz… E, nenhuma mãe ou pai deseja menos do que felicidade pra um filho. No mais, gente é tudo gente.
    Não sei qual a mania imbecil de querer padronizar. A natureza já mostrou com sabedoria, faz tempo, que a diversidade é o caminho, que ela é linda… Não sei pra que contrariar um ente que tem bilhõed de anos…

    Aliás, existe homossexualidade entre os animais. E aí, são “sem vergonhas”?! Não é natural?!
    Ah! Gente pobre de espírito é a treva!

    Afe! Tagarelei demais…

    Gostei muito do texto e vou voltar mais.😀

  5. Como é que homofobia, uma doença, como denota o termo, pode ser crime? Tem que ser tratada. O que deve ser crime, e já é, são quaisquer ações que uma pessoa que sofra de homofobia pratique contra um homossexual, que seriam também crime se fossem praticadas independentemente da orientação sexual e patologia dos envolvidos. Supondo que a pessoa acometida pela homofobia tenha capacidade de controlar suas ações, claro. Caso contrário, deve ser visto como atenuante, assim como seriam atos que lesassem a outras pessoas cometidos por crianças ou deficientes mentais, que não gozam de total controle ou responsabilidade por suas ações.

    Falando sério, não é necessário estabelecer legislações para todo tipo de relação de animosidade entre pessoas que possam resultar em crimes. Não precisa de legislação contra homofobia, obesofobia, magrofobia, feiofobia, torcedor-do-outro-timefobia, argentinofobia, nem racismo, ou talvez, raciofobia, e quem sabe, semitofobia, no caso específico dos nazistas. É só ser crime que as pessoas causem dano a outras pessoas, independentemente da motivação subjetiva que leva a causar esse dano.

    Falar que “não existe lei contra homofobia” parece até sugerir que alguém pode sair e espancar um sujeito até deixá-lo como o rapaz da imagem no texto, que se vir um policial fazer algo contra, é só falar, “nada disso, seu guarda, eu estou no meu direito, não há lei contra a homofobia, e eu estou batendo nesse cara porque ele é homossexual; não porque ele é negro, ou só porque eu não gosto dele por qualquer outro motivo. Nesses casos, sim, você poderia fazer algo contra, mas o fato é que esse linchamento em particular é perfeitamente legal”.

    Se as pessoas tivesse um pouco mais de ciência do conceito de isonomia, e que tudo que é necessário é sua aplicação de fato, seria mais difícil para os políticos populistas conseguirem essas clientelas eleitorais explorando o sofrimento desses grupos.

  6. Século XXI, meu Deus….é estranho isso tudo!

    Bem, em relação a Claudia Leite fiquei meio pasma. Pois sou de Aracaju(pertinho de SSA) e a maioria do público dela, na região Nordeste é gay(os adolescentes) são loucos por ela, e simplesmente dizer isso…é complicado!

    Onde a ignorância vai chegar?

  7. Sou hetero e tenho escutado coisas do tipo: “daqui a pouco, seremos presos por não sermos homosexuais…”
    Se eu disser que não sou preconceituoso estarei mentindo, sei que tenho que rever esse e muitos outros conceitos, já fui pior e estou num processo contínuo de reciclagem de idéias…
    Independente de ser hetero ou homo, o sofrimento maior é “interno” por questões diversas…
    Conheço muitas pessoas que não precisam se declarar “gay assumido” por estarem particularmente resolvidas. Tem uma vida estável, são normais e bem sucedidas. O problema maior, é banalização. Exemplo disso é a caracterização da “bicha/viado”, que são pessoas sujeitas as chacotas… ou seja, tudo tem um limite!
    Podemos, sim, viver harmoniosamente, mas desde que haja respeito mútuo, caso contrário será tempo perdido discutindo e/ou defendendo algo que não está claro… Afinal de qual problema estamos realmente tratando? Isso é importante? Quais são nossas prioridades?
    Lamento pelos que não tiverem paciência pra (tentar) me entender…
    Obrigado pela oportunidade de livre expressão (caso eu não venha a ser censurado…kkk)
    Beijo pra “mina” e abraço pros “mano”

  8. Futebol de viril não tem nada. É, sim, violento. Viril é o cara que não precisa ser violento. Ao menos não gratuitamente.
    Quanto aos pejorativos “bicha” e “viado”, não esqueçamos do nada lisonjeiro “rachada” pelo qual muitos gays se referem às mulheres.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s